Espanha quer prender salvadorenhos por morte de padres

A Justiça da Espanha ordenou hoje a prisão de 20 militares e ex-militares salvadorenhos, por suposto envolvimento na matança de seis sacerdotes católicos jesuítas e duas empregadas domésticas em San Salvador, em 1989.

AE, Agência Estado

30 de maio de 2011 | 11h03

O juiz da Audiência Nacional Eloy Velasco tornou público um auto do processo, passo prévio para a abertura do julgamento na Espanha. Velasco emitiu ordens de busca e captura internacional contra 20 pessoas supostamente envolvidas nos crimes. Entre elas está o ex-ministro de Defesa salvadorenho Humberto Larios.

Os jesuítas, cinco deles espanhóis, foram assassinados em novembro de 1989 por soldados que invadiram o campus da Universidade Centro-americana José Simón Cañas (UCA), em San Salvador, durante uma ofensiva guerrilheira. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.