JOSE JORDAN / AFP
JOSE JORDAN / AFP

Espanha reabre fronteira para estrangeiros vacinados contra covid em junho

Anúncio vem na esteira do acordo encaminhado pela União Europeia para autorizar pessoas vacinadas a entrarem no bloco e flexibilizar as regras de restrição impostas a países considerados seguros

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2021 | 10h16

MADRI - O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, anunciou nesta sexta-feira, 21, que o país vai permitir a entrada de qualquer pessoa vacinada contra a covid-19 em seu território, independente do país de procedência, a partir de 7 de junho.

"A partir de 7 de junho, todas as pessoas vacinadas e suas famílias também são bem-vindas ao nosso país, Espanha, independentemente do local de origem", afirmou.

O anúncio vem na esteira do acordo encaminhado pela União Europeia para autorizar pessoas vacinadas a entrarem no bloco e flexibilizar as regras de restrição impostas a países considerados seguros. De acordo com o texto aprovado por embaixadores europeus, seriam aceitas pessoas que tiverem concluído a imunização com qualquer vacina aprovada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) ou pela agência europeia. A Coronavac, vacina mais aplicada no Brasil até aqui, está fora da lista.

A decisão em nível europeu foi comemorada pela Espanha, que como segundo principal destino turístico mundial em 2019, pretende reativar o setor após um ano penalizado pela pandemia. A expectativa do país é atrair 45 milhões de turistas estrangeiros em 2021, metade do número do período pré-pandemia.

Para isso, antes mesmo da recomendação geral passar a valer, os espanhois vão permitir, a partir de 24 de maio, a entrada de turistas britânicos e japoneses, "sem restrições e sem exigências sanitárias", completou Sánchez. Não está claro, porém, se devem apresentar, ou não, um teste de PCR negativo na chegada, como ocorre atualmente.

Ambos os países se somam a uma lista de oito territórios de fora da UE, como China, Austrália, Israel e Nova Zelândia, cujos residentes já estavam autorizados a entrar na Espanha para viagens não essenciais.

Antes da crise sanitária global, os britânicos representavam o primeiro contingente de visitantes estrangeiros ao país, com 18 milhões de chegadas em 2019. Seu retorno às praias espanholas é importante para a economia nacional, na qual, antes da pandemia, o turismo respondia por 14% do PIB. As entradas de residentes em países da União Europeia sempre estiveram autorizadas, com a exigência de apresentarem um teste negativo de PCR a partir dos 6 anos de idade./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.