JuanJo Martín/EFE
JuanJo Martín/EFE

Espanha registra mais de 20 mil mortes por coronavírus; Sánchez pedirá extensão do confinamento

País começou a aliviar um rigoroso isolamento determinado em 14 de março e nesta semana abriu alguns setores da economia, incluindo a manufatura; maioria das pessoas, porém, ainda está confinada em suas casas

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2020 | 13h50
Atualizado 19 de abril de 2020 | 18h53

MADRI - O número de mortos na Espanha por coronavírus aumentou em um ritmo mais lento neste sábado, 18, mas ultrapassou 20 mil, nesse que é um dos países mais atingidos do mundo. O número de mortes aumentou em 565 neste sábado, ante um aumento de 585 na sexta-feira, informou o Ministério da Saúde do país. O número de casos de coronavírus aumentou de 188.068 para 191.726.

O primeiro-ministro, Pedro Sánchez, anunciou neste sábado que pedirá ao Parlamento uma prorrogação do estado de emergência com o isolamento da população até o próximo dia 9 de maio. Sánchez disse ainda que as crianças poderão sair de casa brevemente, acompanhadas por um adulto, a partir do dia 27 de abril. 

A Espanha começou a aliviar um rigoroso isolamento determinado em 14 de março e nesta semana abriu alguns setores da economia, incluindo a manufatura. Mas a maioria das pessoas ainda está confinada em suas casas, exceto para saídas essenciais, como comprar comida, e nem mesmo as crianças podem sair para se exercitar.

Os números divulgados hoje são os primeiros publicados pelo Ministério da Saúde com os dados fornecidos pelas Comunidades Autônomas de acordo com os novos critérios de relato de casos de coronavírus estabelecidos pelo governo para conseguir uma gestão mais eficiente das informações sobre o impacto da covid-19.

O governo espanhol unificou ontem o procedimento de informação regional sobre infecções, mortes e altas desde o início da pandemia, que será mais detalhado e procederá à revisão e correção dos dados.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Dentro desse novo procedimento, as comunidades autônomas espanholas notificaram hoje 1.194 pessoas com anticorpos positivos, mas sem sintomas no momento do teste, portanto não é possível estabelecer o momento da infecção ou se sofreram ou não a doença, explicou o ministério.

Madrid continua sendo a região mais afetada, com 52.946 pessoas contagiadas, 7.132 mortos e 30.475 curados, seguida pela Catalunha, com 39.943 casos, 3.879 óbitos e 13.275 pacientes recuperados. / REUTERS e EFE 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.