REUTERS/Jon Nazca
REUTERS/Jon Nazca

Espanha retoma atividades produtivas após nova queda no número diário de mortos

Setores considerados não-essenciais foram reabertos nesta segunda, 13, quando país registrou 517 mortes por covid-19; governo espanhol iniciou campanha de distribuição de máscaras como medida preventiva

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2020 | 08h44

MADRI - A Espanha deu, nesta segunda-feira, 13, um passo inicial na volta à normalidade após semanas de confinamento por causa da pandemia do novo coronavírus. Setores considerados não-essenciais, que permaneceram fechados durante a quarentena, reiniciaram os trabalhos.

O retorno às atividades ocorre no dia em que o país registra mais uma queda no número diário de mortes por covid-19. De acordo com o ministério da saúde, 517 novas vítimas foram contabilizadas nas últimas 24 horas. No mesmo período, foi observado também menor quantidade de novos casos confirmados da doença desde 20 de março.

Apesar da reabertura de parte do setor econômico, como a construção civil e a indústria, paralisados por duas semanas, 47 milhões de espanhóis seguem cumprindo regras de isolamento e o governo mantém medidas de distanciamento social.

Ante o temor de que a reabertura possa ocasionar um novo pico de contágios, o governo espanhol começou uma campanha para entregar dez milhões de máscaras nos transportes públicos. A iniciativa, segundo o ministro dos Transportes, José Luis Abalos, foi um sucesso até o momento.

Apesar da volta de algumas atividades, na estação de Atocha Blanca Cisneros, em Madri, ainda não se observavam muitos usuários. O Metrô de Madri anunciou que na manhã desta segunda foi registrado um aumento de 34% no número de passageiros em relação à semana passada. No entanto, o número é 86% menor se comparado ao mesmo dia do ano passado.

Apesar de especialistas apontarem que o pico da doença no país foi atingido em 2 de abril, quando 950 pessoas morreram, o primeiro-ministro Pedro Sánchez  advertiu que a Espanha ainda está "longe da vitória", anunciando que o confinamento da população deve ser prolongado até 25 de abril.

A Espanha é o terceiro país com mais vítimas da covid-19, com 17.489 mortos, o país está atrás apenas de Estados Unidos e Itália./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.