Espanha suspende aulas obrigatórias de religião

O novo governo socialista da Espanha suspendeu planos para tornar religião um curso obrigatório nas escolas públicas, uma proposta arduamente defendida pelo antigo governo conservador. As escolas públicas continuarão oferecendo aulas de religião, mas elas serão opcionais e as notas não contarão para a admissão dos estudantes nas universidades, anunciou a ministra da Educação Maria Jesus Sansegundo.Os cursos obrigatórios deveriam entrar em vigor no ano acadêmico 2004-2005, como parte de uma reforma educacional aprovada pelo governo do primeiro-ministro conservador José Maria Aznar. A Espanha é predominantemente católica, e o governo Aznar tinha laços estreitos com a igreja.Em outra divergência quanto às políticas de Aznar, o primeiro-ministro Jose Luis Rodriguez Zapatero prometeu uma reforma para permitir o casamento de homossexuais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.