Espanha vai integrar Conselho de Segurança da ONU

A Espanha foi eleita nesta quinta-feira para integrar o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) a partir de 2015. Ela disputava o posto com a Turquia, que está sob atenção especial, devido à crescente pressão para fazer mais sobre a guerra civil na Síria, que tem afetado a fronteira entre os dois países.

Estadão Conteúdo

16 de outubro de 2014 | 19h22

"Nós não poderíamos abandonar nossos princípios em prol de conseguir mais votos", disse o ministro dos Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, de acordo com a agência estatal turca Anadolu.

Mais cedo, Venezuela, Nova Zelândia, Angola e Malásia foram eleitas para integrar o Conselho. Os cinco vencedores vão se juntar ao órgão em 1º de janeiro e servir até 2016 como membros sem poder de veto. Eles vão substituir Argentina, Austrália, Luxemburgo, Coreia do Sul e Ruanda.

As votações são secretas e, para vencer, cada país precisa obter o apoio de dois terços dos membros da Assembleia Geral presentes. Caso todos os 193 integrantes participem, então um país precisará de 129 votos para ser eleito.

O diretor do Human Rights Watch para a ONU, Philippe Bolopion, expressou preocupação com a nova composição da cúpula. "Os novos membros do Conselho de Segurança podem se provar mais problemáticos em questões de direitos humanos, com a saída de países favoráveis aos direitos e a chegada de outros com históricos ruins de votação", afirma em declaração. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUConselho de SegurançaEspanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.