Javier Barbancho/ AFP
Javier Barbancho/ AFP

Espanha vai reabrir fronteiras com a União Europeia em 21 de junho 

Restrições continuarão, dentro do bloco, apenas para Portugal; país tenta reativar setor do turismo

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2020 | 13h16

MADRI - A Espanha vai reabrir suas fronteiras com países membro da União Europeia no próximo domingo, 21. De acordo com o plano apresentado pelo primeiro-ministro, Pedro Sánchez, as restrições de viagem devem seguir valendo apenas para Portugal, entre os países do bloco europeu, até 1º de julho.

A data coincide com o fim do estado de emergência decretado em meados de março para combater o novo coronavírus. "A partir de então, acabará a obrigatoriedade de quarentena para os viajantes que entrem em nosso país", disse Sánchez.

A reabertura da fronteira terrestre com Portugal, contudo, só será feita em 1º de julho, data prevista inicialmente pelo governo espanhol, e celebrada em um ato conjunto com as autoridades de ambos os países.

O Ministério do Turismo espanhol já havia adiantado, no começo do mês, que a reabertura das fronteiras terrestres entre os países ocorreria no dia 22 de junho, mas a declaração gerou um mal-estar com o governo portuguÊs, que teve que retificar o anúncio poucas horas depois.

A decisão de antecipar a reabertura com a União Europeia em 21 de junho segue uma recomendação de Bruxelas, que na quinta passada pediu que os estados membros permitissem o livre trânsito entre países do bloco a partir de 14 de junho.

Além da União Europeia, o plano de reabertura apresentado por Sanchez prevê o fim das restrições, a partir de 1º de julho, para os países europeus de fora do bloco e que apresentem uma situação epidemiológica análoga ou melhor que a UE.

Os países também terão que assumir condições complementares em relação à origem, trajeto e destino dos viajantes, bem como ter reciprocidade com a Espanha.

O país foi um dos países mais afetados pela pandemia no mundo, com mais de 27 mil mortes. Sob regras rígidas de isolamento desde março, que teve grande impacto na economia, a esperança é que a reabertura ajude a reativar o setor de turismo, que corresponde a 12% do PIB espanhol./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.