Espanhóis protestam contra violência no Saara Ocidental

Milhares de manifestantes protestaram em Madri hoje contra a recente investida marroquina que deixou pelo menos dez mortos no Saara Ocidental, ex-colônia espanhola no noroeste da África.

AE, Agência Estado

13 de novembro de 2010 | 19h37

Muitos dos manifestantes criticaram a Espanha por não adotar uma postura mais firme contra o que eles consideram abusos contra os direitos humanos praticados pela polícia e exército de Marrocos.

Entre os manifestantes estavam o ator Javier Bardem, parlamentares e outras lideranças políticas, sindicais e ativistas pelos direitos civis.

A polícia marroquina desmantelou na segunda-feira um acampamento com cerca de 12 mil pessoas, estabelecido havia quatro semanas nas proximidades da principal cidade do Saara Ocidental, Laayoune. O acampamento havia sido criado para pedir melhores condições de vida para a população local.

O Saara Ocidental foi anexado pelo Marrocos após a Espanha se retirar da área, em 1975. O movimento pela independência Frente Polisário, porém, lutava contra a presença marroquina, até que as Nações Unidas conseguiram acertar um cessar-fogo entre os dois lados, em 1991.

O governo espanhol apoia o diálogo entre marroquinos e a Frente Polisário, que pede um referendo para se decidir sobre a independência do Saara Ocidental. O Marrocos tem rejeitado essa ideia, permitindo apenas uma autonomia maior à região.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.