REUTERS/Juan Medina
REUTERS/Juan Medina

Espanholas contratam assassino de aluguel e o denunciam por não cumprir combinado

Mulher de 52 anos pagou € 7 mil ao namorado da filha, que se apresentou como chefe dos serviços secretos, para matar seu atual companheiro que teria obtido € 60 mil dela mediante golpes; os 3 foram presos e acusados de crime de propositura de assassinato

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2019 | 10h02

MADRI - Uma mulher espanhola queria matar seu companheiro e para isso contratou o namorado de sua filha. Percebendo que o crime não acontecia, as duas tiveram a ideia de denunciá-lo à polícia por fraude.

A história bizarra, revelada pela polícia de Madri, terminou com a prisão dos três: da mãe de 52 anos, da filha de 20 anos e do namorado de 29 anos.

Tudo começou quando, em meados de junho, a mulher em questão foi com a filha a uma delegacia de polícia para apresentar duas queixas por fraude: uma contra o companheiro e outra contra o namorado da filha.

De acordo com a queixa da mulher, seu companheiro "teria obtido delas mais de € 60 mil (R$ 255 mil) mediante vários golpes", disse a polícia. Os supostos golpes indignaram a filha, que contou a história ao seu próprio namorado. 

Nesse momento, "ele revelou que na verdade era chefe dos serviços secretos, e que poderia ressarci-las economicamente". O rapaz, que tinha documentos falsos do serviço de inteligência espanhol (CNI), também dizia ser especialista em tiro de combate, eliminação e falar 22 idiomas.

Ele então se ofereceu para matar o parceiro de sua mãe, vender seus órgãos e, assim, recuperar os € 60 mil. Para isso, pediu um adiantamento de € 7 mil (quase R$ 30 mil), "firmando um acordo para cometer os atos criminosos".

Veja o contrato (em espanhol) assinado pela mulher e pelo falso espião:

Vendo que o assassinato demorava a acontecer, mãe e filha tiveram a ideia de denunciá-lo à polícia, que as prendeu, bem como o falso agente secreto. Todos os três foram levados à Justiça e acusados de crime de propositura de assassinato.

Quanto ao alvo da tentativa de assassinato, "os investigadores puderam verificar que o indivíduo estava em perfeitas condições", concluiu a polícia em seu comunicado. A polícia agora investiga agora se o namorado da jovem enganou outras pessoas. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.