Especialista em Iraque temia "aparecer morto" após invasão

O especialista em armas do Iraque do governo britânico, David Kelly, temia ?aparecer morto no bosque? se a coalizão liderada pelos EUA realmente invadisse o Iraque, disse um colega ao testemunhar sobre o suposto suicídio de Kelly. O especialista morto foi identificado como a fonte de uma reportagem da BBC que questionava a integridade dos pretextos apresentados pelo governo do Reino Unido para ir à guerra. Kelly foi encontrado morto em 18 de julho na beira de um bosque perto de sua casa.David Broucher, um representante da conferência da ONU para o desarmamento em Genebra, disse ter conhecido Kelly na Suíça, depois de pedir informações sobre armas biológicas iraquianas. Kelly disse que estava pedindo a seus contatos iraquianos que permitissem inspeções completas para evitar um ataque. ?Quando Kelly estava saindo, perguntei ?o que você acha que acontecerá se o Iraque for invadido??, e ele respondeu, no que achei que fosse uma frase inconseqüente, ?Provavelmente vão me achar morto no bosque?.? Broucher disse que não relatou a conversa a ninguém porque ela não lhe pareceu importante, na época.O juiz que conduz o inquérito, Lord Hutton, anunciou que o primeiro-ministro Tomy Blair apresentará sua versão do caso na próxima quinta-feira, um dia depois do depoimento do secretário de Defesa Geoff Hoon. Parentes de Kelly devem testemunhar no início de setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.