Especialista não crê em ataque terrorista na queda de avião

O presidente do Observatorio Internacional do Terrorismo, Roland Jacquard, declarou hoje à Agência Estado, em Paris, que a hipótese de atentado terrorista contra o Airbus, hoje em Nova York, parece "extremamente remota", em função das medidas de segurança adotadas nos aeroportos norte-americanos depois dos ataques de 11 de setembro."Não dá para conceber que um terrorista tenha podido entrar no avião com bomba ou outras armas ou conseguido cometer um ato de sabotagem contra uma das turbinas antes da decolagem", disse. "Em todo caso e pelo menos por enquanto, a hipótese de atentado está nos espíritos em toda parte, visto as sucessivas ameaças feitas nesse sentido, por Bin Laden e seu principal conselheiro, o médico egípcio Ayman Al-Zawahri".Jacquard lembrou que a "psicose do atentado" foi alimentada nos últimos 15 dias pelos vídeos em que Bin Laden e Al-Zawahi conclamavam os extremistas islâmicos a efetuarem novos atos terroristas e ameaçavam diretamente a ONU e seu secretário-geral, Kofi Annan. "Além dos vídeos numa mensagem cifrada e interceptada pelos serviços de inteligência americanos Bin Laden apelava os comandos terroristas islâmicos a realizaram um atentado contra a ONU".O presidente do Observatório Internacional do Terrorismo lembrou que um desses vídeos acabou não sendo levada ao ar pela TV árabe Al-Jazeera, graças a gestões diplomáticas de Washington..Segundo Jacquard, há duas semanas, num outro pronunciamento enviado à Al Jazeera, Bin Laden recomendava a seus comandos terroristas "a abaterem "aviões americanos no próprio solo americano".Ele observou ainda que o fato de o presidente George W. Busch ter, nesse fim de semana, passado pela área em que caiu o Airbus, constitui "uma coincidência que tocou os espíritos e fortaleceu ainda mais a psicose, igualmente vivida pelos europeus."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.