Esperança de encontrar sobreviventes na mina chinesas são remotas

O número de mortos na explosão de uma mina de carvão, domingo, na província chinesa de Shaanxi, subiu para 63, sendo que 103 mineiros continuam desaparecidos, informou nesta terça-feira uma fonte de Pequim. As esperanças de encontrar sobreviventes são cada vez mais remotas. A televisão estatal informou que parte da mina Chenjiashan continua em chamas.Um mineiro relatou ao jornal oficial China Daily que os trabalhadores foram obrigados a descer ao poço, apesar de evidentes sinais de que poderia ocorrer um acidente. Dias antes da explosão houve um incêndio em um dos poços que demorou quase uma semana para ser dominado. Mesmo assim, a produção não parou por ordem dos diretores da mina. Eles ameaçaram multar os mineiros que resistissem ao trabalho, com multas de cerca de US$ 20 ao dia e demissões. O salário mensal e de US$ 250. Os chefes da mina queriam ganhar um prêmio por superprodução, por isso sacrificaram a segurança dos trabalhadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.