Esperança em Obama 'evaporou', diz texto do Fatah

Um documento interno que circulou entre membros do partido político do presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, afirma que as esperanças na administração do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, "evaporaram". A razão é um suposto recuo da administração Obama em temas cruciais para os palestinos.

AE-AP, Agencia Estado

13 de outubro de 2009 | 10h46

O memorando do Partido Fatah acusa os EUA de recuarem em exigências como o congelamento das construções em assentamentos israelenses, além de não se comprometerem com uma agenda objetiva nas negociações pela paz no Oriente Médio. Não está ainda claro se o documento datado de 12 de outubro reflete as opiniões de Abbas ou se foi vazado de propósito para tentar pressionar Obama a endurecer com Israel.

O texto afirma que os palestinos perderam sua esperança em Obama e acusa o líder norte-americano de ceder a pressões de lobistas pró-Israel em Washington. "Todas as esperanças depositadas na nova administração dos EUA e no presidente Obama evaporaram", afirma o texto, divulgado pelo Escritório do Fatah de Mobilização e Organização. O departamento é liderado pelo número 2 do partido, Mohammed Ghneim.

O memorando lamenta o fato de Obama "ceder à pressão do lobby sionista", não manter suas posições anteriores sobre o congelamento de assentamentos nem "definir uma agenda para as negociações e a paz". Assessores de Abbas não quiseram comentar o memorando.

Assentamentos

Os palestinos ficaram animados com a eleição de Obama e esperavam uma postura menos pró-Israel dele do que a de seus antecessores George W. Bush e Bill Clinton. O documento do Fatah afirma ainda que Israel deve interromper as construções em assentamentos - áreas que os palestinos querem como parte de seu futuro Estado independente - e estabelecer uma agenda clara para as negociações recomeçarem. Os EUA afirmam que não abandonaram essas metas, mas funcionários já indicaram que Washington não as vê como condições prévias para o reinício do diálogo.

Tudo o que sabemos sobre:
PalestinaFatahIsraelesperançaObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.