Lindsey Parnaby / AP
Lindsey Parnaby / AP

Espetáculo de luz em Londres com contagem regressiva marcará saída do Reino Unido da UE

Não há informações sobre o que farão os governos de Escócia e Irlanda do Norte nos seus respectivos territórios

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2020 | 12h03

LONDRES - Um espetáculo de luzes que projetará uma contagem regressiva sobre a residência do primeiro-ministro britânico Boris Johnson em Downing Street, em Londres, marcará a saída do Reino Unido da União Europeia no próximo dia 31. O anúncio foi feito pelo governo neste sábado, 18.

Os planos do Executivo parecem descartar a possibilidade de pedir no Parlamento o funcionamento temporário do campanário do Big Ben, atualmente em obras, como chegou a ser cogitado nos últimos dias.

Uma iniciativa popular na internet já arrecadou mais de 250 mil libras (R$ 1,35 milhão) das 500 mil libras (R$ 2,7 milhões) necessárias para ativar temporariamente o relógio da torre, que está rodeado de andaimes.

No entanto, uma comissão parlamentar indicou que não seria apropriado usar o dinheiro do povo para um evento político, além de considerar o custo elevado.

De toda forma, o governo oficial planeja que um relógio projetado no tijolo preto de Downing Street fará uma regressiva até as 23h GMT (meia-noite no horário europeu e 20h em Brasília) no dia 31 de janeiro.

Outros edifícios governamentais adjacentes também serão iluminados, e a bandeira britânica será hasteada na Praça do Parlamento, também no centro de Londres.

No dia do Brexit, uma nova moeda de 50 centavos também será posta em circulação no Reino Unido, levando a mensagem de "Paz, prosperidade e amizade com todas as nações".

Não há informações sobre o que farão os governos de Escócia e Irlanda do Norte nos seus respectivos territórios, onde a maioria dos cidadãos votou contra o Brexit no referendo de 23 de junho de 2016. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.