Espiões de Rússia e EUA chegam a Viena para troca

Dois aviões vindos de Moscou e Nova York, transportando 14 agentes clandestinos para Estados Unidos e Rússia, aterrissaram hoje em Viena, na última etapa de um grande intercâmbio de espiões entre as duas potências da Guerra Fria. A troca dos dez agentes detidos na semana passada pelos EUA resultou na libertação de ex-coronéis da inteligência russa, considerados culpados pelo fato de pôr em risco agentes russos no Ocidente, além de outros dois condenados por traição.

AE-AP, Agência Estado

09 de julho de 2010 | 08h58

Um Boeing 767-200 branco e bordô vindo do aeroporto nova-iorquino de La Guardia aterrissou na Áustria com dez deportados, que teriam admitido que atuavam como agentes clandestinos para a Rússia, entre as quais a jornalista peruana Vicky Peláez e seu marido. Pouco depois, o Boeing parou atrás de um Yakovlev Yak-42 do Ministério de Emergências da Rússia, que teria transportado quatro russos que espionavam para os EUA.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaEUAespiõestroca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.