Espionagem faz Alemanha convocar embaixador dos EUA

O Ministério das Relações Exteriores da Alemanha convocou o embaixador norte-americano no país, Philip Murphy, para pedir esclarecimentos sobre alegações de que a Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) dos EUA espionou instituições da União Europeia.

Agência Estado

01 de julho de 2013 | 08h45

Se forem verdadeiras, as alegações serão uma inaceitável quebra da confiança entre Alemanha e EUA, dois aliados próximos, comentou o governo alemão em Berlim.

Murphy foi convocado para participar de uma reunião nesta segunda-feira, segundo Steffen Seibert, porta-voz do ministério. Além disso, a chanceler alemã, Angela Merkel, vai procurar conversar "em breve" com o presidente norte-americano, Barack Obama, sobre o assunto, acrescentou Seibert.

O caso veio à tona após a revista alemã Der Spiegel publicar no fim de semana que os EUA implantaram equipamentos de escuta em escritórios da UE em Washington, infiltraram a rede local de computadores e usaram meios eletrônicos para espionar entidades da UE em outras partes. A reportagem citava documentos secretos obtidos pelo ex-técnico da CIA Edward Snowden, que no mês passado relatou um enorme esquema de espionagem do governo norte-americano.

"Não estamos mais na Guerra Fria", disse Seibert durante coletiva, ressaltando que a reportagem causou "espanto" em Berlim. O porta-voz informou também que a Alemanha está discutindo o escândalo de espionagem com parceiros europeus.

As alegações vêm num momento em que os EUA e a União Europeia começam a negociar um acordo de livre comércio. Seibert disse que a Alemanha ainda pretende buscar um acordo, mas "na base da confiança". Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhaEUAespionagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.