Esposa e filhos de Pinochet em prisão domiciliar

A esposa, quatro dos cinco filhos e uma das noras do ex-ditador chileno Augusto Pinochet foram indiciados hoje por crime tributário pela sonegação de US$ 6,6 milhões e condenados a prisão domiciliar, informaram fontes judiciais.O magistrado concedeu liberdade provisória aos acusados na causa, mas ela só terá validade após uma decisão da Corte de Apelações e o pagamento prévio de fianças que oscilam entre US$ 570 e US$ 5,7 mil.Os seis processados ficam em prisão domiciliar até amanhã, quando se apresentarão à Direção Geral de Gendarmaria para esperar ao parecer da Corte de Apelações, que determinará se a liberdade provisória será concedida.O juiz Cerda afirmou que as acusações são de evasão tributária de mais de US$ 6,6 milhões com "declarações de rendas maliciosamente incompletas e omissão de antecedentes", segundo o texto da sentença.O único dos filhos de Pinochet que se salvou foi o primogênito, Augusto Pinochet Hiriart, pois as acusações de evasão fiscal feitas contra ele não foram provadas.No caso das "contas secretas", o militar de 90 anos é processado desde novembro por evasão tributária, falsificação de documentos do subsecretariado de Guerra, declaração falsa de bens e de passaportes. Por enquanto, a investigação judicial determinou que Pinochet acumulou uma fortuna de US$ 27 milhões em suas contas secretas. E o ex-ditador não declarou as quantias, como também apresentou declarações anuais de impostos alteradas.Augusto Pinochet também é processado pelas vítimas da Operação Colombo, uma operação articulada em 1975 pelos aparatos repressivos do regime militar, na qual tentaram encobrir a prisão e desaparecimento de 119 opositores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.