Esquerda escolhe mulher para eleição em Montevidéu

A esquerda uruguaia decidiu indicar a vice-ministra de assuntos sociais e dirigente do Partido Comunista, Ana Olivera, como candidata às eleições para Montevidéu. O objetivo é tentar manter o poder na capital uruguaia, governada pela esquerda há 20 anos.

AE-AP, Agencia Estado

30 de janeiro de 2010 | 12h29

Em 9 de maio, os uruguaios escolherão os governantes de 19 cidades, entre elas Montevidéu, que concentra metade da população de 3,3 milhões de habitantes do país. Novamente, a esquerda é a favorita na disputa.

Ana Olivera, uma professora de 56 anos que já ocupou cargos no governo de Montevidéu, estava nos últimos tempos na subsecretaria do Ministério de Desenvolvimento Social. Nas negociações para definir uma candidatura única da esquerda na capital do país, dois aspirantes ficaram para trás por falta de apoio: o ex-ministro da Indústria Daniel Martinez e o deputado Carlos Varela.

Segundo uma pesquisa feita pela consultoria Equipos Mori, divulgada na quinta-feira, a Frente Ampla, de esquerda, tem 53% das intenções de votos em Montevidéu. Cerca de 16% dos entrevistados manifestaram a disposição de votar no centro-direitista Partido Colorado (PC), enquanto outros 15% citaram o Partido Nacional (PN), também de centro-direita. Outros 6% indicaram os demais grupos políticos. A coalizão de esquerda governa, atualmente, oito departamentos no Uruguai. O Partido Nacional governa dez departamentos e o Partido Colorado apenas um.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçãoMontevidéuesquerda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.