Esquerda faz acordo para governo de coalizão na Islândia

Dois partidos de esquerda chegaram a um acordo hoje para formar uma nova coalizão na Islândia, primeiro país cujo governo caiu devido à crise financeira internacional. "Acredito que chegamos a uma solução. A esta hora, amanhã deveremos ter um novo governo", disse o presidente do Partido Verde de Esquerda, Steingrimur Sigfusson. O acordo foi anunciado após cinco dias de negociações entre os verdes de esquerda e o Partido Social-Democrata.No dia 26 de janeiro, o governo de coalizão de centro-direita, liderado pelo primeiro-ministro Geir Haarde, renunciou, depois de a crise financeira obrigá-lo a estatizar os principais bancos da Islândia. As negociações entre os partidos para a formação de um novo governo chegaram a um gargalo ontem, quando a liderança do Partido Progressista (PP), de centro, declarou que as propostas que estavam sendo discutidas eram vagas demais.Hoje, porém, o líder do PP, Sigmundur Gunnlaugsson, disse que sua legenda concordou em oferecer o necessário apoio parlamentar à nova coalizão, embora não venha a participar dela. "Os membros progressistas do Parlamento chegaram à conclusão de que vamos defender o novo governo de um voto de não-confiança." A nova coalizão deverá ser comandada pela líder social-democrata Johanna Sigurdardottir, de 66 anos. Ela será a primeira mulher a assumir o cargo de primeira-ministra da Islândia e a primeira pessoa abertamente homossexual a chefiar um governo em todo o mundo. No entanto, a novo governo poderá ter vida curta, já que os verdes de esquerda e os social-democratas decidiram antecipar as próximas eleições parlamentares para 25 de abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.