Esquerda francesa decide votar Chirac para barrar Le Pen

Os partidos esquerdistas derrotados no primeiro turno das eleições presidenciais francesas - socialistas, comunistas e verdes - lançaram hoje (22) um dramático apelo a seu eleitorado para que vote em massa no presidente conservador Jacques Chirac - candidato à reeleição - no segundo turno, marcado para 5 de maio. Chirac venceu o pleito de domingo com 19,88% da votação. O sucesso do ultradireitista Jean-Marie Le Pen, que derrotou o primeiro-ministro socialista Lionel Jospin por 16,86% a 16,18% e ganhou o direito de disputar a presidência francesa com Chirac. O forte impacto do resultado eleitoral francês deve ser medido não só pelo apelo da maior parte das agremiações políticas de esquerda (em favor de Chirac), mas também pela reação das forças que representam a direita clássica, os sindicatos e instituições representativas como SOS Racismo, Conselho Representativo das Instituições Judaicas da França (Crif) e numerosas outras organizações de defesa dos direitos do homem. Dessa forma, um verdadeira frente republicana anti-Le Pen está sendo formada pelo PS, PC, Verdes, centrais sindicais como a CGT e a CFDT. Essas entidades têm multiplicado manifestações de rua e insistido em declarações cuja meta é barrar a ascensão da extrema-direita de Le Pen. Hoje, diversas passeatas estudantis percorreram as ruas da capital, Lyon, Lille, Rouen, Marselha e em outras 20 cidades francesas. Mesmo os integrantes da alta cúpula do Partido Socialista, como seu primeiro secretário, François Holande, e pessoas muito próximas a Jospin, como o ex-ministro da Economia Dominique Strauss Khan e Martine Aubry, estão afirmando publicamente que votarão no candidato gaullista. Holande não poderia ter sido mais claro quando afirmou, depois de uma reunião da direção nacional do partido, da qual participou Jospin: " Nosso adversário é Chirac, mas nosso inimigo é Le Pen, um perigo para a república." 1º de MaioTambém o prefeito de Paris, Bertrand Delanoé, disse que votará Chirac não só para derrotar Le Pen, mas também para que ele tenha a votação mais baixa possível. A secretária-nacional do PC Marie France Buffet, apelou oficialmente aos 3,5% de eleitores comunistas a sufragarem o nome de Jacques Chirac no dia 5 de maio. Também os verdes estão agindo da mesma forma, entre eles seu candidato, Noel Mamére. Um pouco menos explícito, mas na mesma linha, pronunciou-se o representante da Liga Comunista Revolucionária, Olivier Besancenot, lançando um apelo a seus eleitores para impedir qualquer possibilidade de vitória de Le Pen. Só a candidata Arlette Laguiller, Lutte Ouvriére, continua afirmando que não recomendará a seu eleitorado votar Chirac, da mesma forma que não o faria se Jospin tivesse passado para o segundo turno. No dia 1 de maio, uma manifestação monstro anti-Le Pen está marcada para a região da Bastilha - Praça da Republica, enquanto Le Pen convoca os seus partidários para a região da Opera, onde anualmente festeja-se Joana D´Arc.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.