Esquerda reúne multidão na Itália

Pela primeira vez desde sua derrotaeleitoral, em maio, a esquerda moderada italiana conseguiumobilizar no sábado à noite em Roma entre 100 mil e 300 milpessoas contra o primeiro-ministro Silvio Berlusconi. Mas,segundo analistas, a manifestação evidenciou a falta de um lídercapaz de conduzir a esquerda à vitória. Apesar de a oposição ter conseguido mobilizar milhares depessoas sob o lema "Juntos contra Berlusconi", a manifestaçãofoi qualificada como "um fracasso pessoal" para seus líderes,em especial para Francesco Rutelli, chefe do Partido Olivo, queintegra a coalizão de centro-esquerda. Sua longa intervenção careceu de ardor e convicção, destacaramos editorialistas de esquerda. Piero Fassino, secretárionacional dos Democratas de Esquerda, a principal força do Olivo,foi melhor acolhido, "mas sem suscitar entusiasmo, igual aRutelli", destacou Curzio Maltese, do jornal La Repubblica. Umberto Bossi, o líder da Liga Norte, foi reeleito hoje poraclamação como secretário do partido xenófobo e populista quefaz parte do Pólo da Liberdade, a coalizão governista. Bossi, cujas recentes declarações contra a União Européiacolocaram em apuros o governo liderado por Berlusconi, era oúnico candidato para o cargo que ocupava desde 1991, quandofundou o movimento. O congresso da Liga do Norte foi usado ontem por Berlusconi epor seu número 2, o líder da Aliança Nacional, Gianfranco Fini,para criticar a oposição de centro-esquerda pela manifestação desábado. "Pensem", disse Berlusconi após abraçar Bossi. "Senão tivéssemos esse pacto, teríamos entregado o país aoscomunistas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.