Esquerdistas e peronistas trocam pedradas

Cerca de uma centena de militantes de movimentos de esquerda e simpatizantes do senador nacional, Eduardo Duhalde, se enfrentaram a pedradas nesta tarde, nas imediações do Congresso Nacional.Segundo o jornal argentino El Clarín, houve uma verdadeira batalha campal, em que ambos bandos se enfrentaram no cruzamento das ruas Bartolomé Mitre e Rodríguez Peña, a uma quadra do palácio legislativo. Os incidentes, que se prolongaram durante 30 minutos, terminaram quando efetivos da polícia federal cercaram os manifestantes e a tiros com balas de borracha e gás lacrimogêneo, conseguiram separar as duas facções. Logo depois da ação da polícia, os manifestantes da Izquierda Unida e de outros movimentos sociais e de direitos humanos seguiram pela Avenida Callao e por Corrientes, desembocando no Obelisco. Enquanto isso, os militantes duhaldistas - vindos principalmente da periferia de Buenos Aires, área de influência de Duhalde -, ficaram próximos ao Congresso, à espera da realização da Assembléia Legislativa, em que deve ser eleito o novo presidente argentino.A briga aconteceu perto do Congresso e, por isso, a Polícía montou uma rigorosa operação de segurança para impedir o acesso à sede do Poder Legislativo.Depois da briga, as ruas Bartolomé Mitre e Rodríguez Peña ficaram cheias de pedras e pedaços de vidros.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.