Estação espacial internacional pode ficar vazia

A agência espacial norte-americana (Nasa) pode ter de abandonar a Estação Espacial Internacional até novembro caso os foguetes russos Soyuz permaneçam em solo além de meados do penúltimo mês do ano, já que neste caso não haveria como enviar novos tripulantes e suprimentos antes de os atuais ocupantes deixarem o local.

AE, Agência Estado

29 de agosto de 2011 | 14h04

Uma nave de abastecimento russa foi destruída durante o lançamento na semana passada. O foguete é semelhante ao usado para levar astronautas ao espaço. O gerente do programa da estação espacial da Nasa Mike Suffredini disse nesta segunda-feira que os controladores de voo podem manter a estação espacial em funcionamento por tempo indeterminado.

Nesta segunda-feira, agências de notícias russas informaram que a agência espacial do país adiou o retorno de astronautas da Estação Espacial Internacional e o lançamento da próxima missão. Os anúncios foram feitos depois do acidente ocorrido na semana passada com uma nave não tripulada de abastecimento para a estação orbital. A nave Soyuz registrou problemas após o lançamento e explodiu sobre uma área de floresta na Sibéria.

Alexei Krasnov, chefe das operações espaciais tripuladas da Roscosmos, disse às agências de notícias RIA Novosti, ITAR-Tass e Interfax que a volta de três astronautas da estação espacial foi adiada de 8 de setembro para o dia 16 do mesmo mês. Ele também declarou que o envio de outros astronautas para a estação, marcado para 22 de setembro, será adiado para o final de outubro ou início de novembro.

O porta-voz Roscosmos, Igor Zatulin, disse que não podia confirmar as informações.

Desde o fim do programa espacial norte-americano, as naves russas Soyuz são o único meio para levar e trazer astronautas da estação espacial.

Atualmente, seis astronautas estão a bordo da estação espacial. O norte-americano Ronald Garan Jr. e os russos Andrey Borisenko e Alexander Samokutyaev, que estão em órbita desde abril, deveriam retornar em 8 de setembro.

As informações divulgadas pelas agências russas não especificam a razão pela qual a missão de retorno foi adiada, mas citam Krasnov dizendo que o lançamento será adiado até que um ou dois lançamentos sejam realizados com foguetes do mesmo tipo usado para lançar a cápsula Soyuz.

Os próximos astronautas a habitar a estação espacial são os russos Anton Shkaplerov e Anatoly Ivanishin e o norte-americano Daniel Berbank. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaNasaSoyuzadiamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.