REUTERS/Georgia Department of Corrections/
REUTERS/Georgia Department of Corrections/

Estado da Geórgia realiza última execução do ano nos EUA

Brian Terrell, de 47 anos, foi condenado à morte por injeção letal pelo assassinato de um idoso em 1992; na terça-feira, Suprema Corte dos EUA rejeitou duas apelações apresentadas pela defesa do condenado

O Estado de S. Paulo

09 de dezembro de 2015 | 10h47

ATLANTA, EUA - O Estado da Geórgia realizou na madrugada desta quarta-feira, 9, a última execução de 2015 nos Estados Unidos, com a morte de um afro-americano condenado à pena capital pelo assassinato de um idoso em 1992. Brian Terrell, de 47 anos, foi declarado morto às 0h52 locais (3h52 de Brasília) após receber uma injeção letal na prisão estadual de Jackson, informou o Departamento de Correções da Geórgia.

Em 1992, John Watson, um amigo da mãe de Terrell, descobriu que o condenado tinha lhe roubado um talão de cheques e tinha emitido cheques em seu nome no valor de quase US$ 9 mil, conforme revelam os documentos judiciais do caso. Watson, de 70 anos, disse na época à mãe de Terrell que não denunciaria seu filho se ele devolvesse o dinheiro roubado no prazo de 48 horas, mas acabou informando a polícia sobre o ocorrido.

Após os dois dias de prazo, Watson apareceu morto com quatro tiros e as suspeitas recaíram sobre Terrell, que foi condenado à morte em 1995, graças ao testemunho de seu primo, Jermaine Johnson, que por sua vez cumpriu cinco anos de prisão como cúmplice do crime.

Agora, Johnson garante que mentiu em seu depoimento porque tinha sido ameaçado pela polícia, mas não quis assinar uma declaração jurada com essa nova confissão.

A execução se atrasou por cerca de sete horas porque os magistrados da Suprema Corte dos Estados Unidos estavam estudando duas apelações apresentadas pela defesa do condenado, que foram rejeitadas.

Com isso, Terrell se transformou no 5º preso a ser executado este ano na Geórgia e no 28º nos Estados Unidos.

Desde que a Suprema Corte reinstaurou a pena de morte em 1976, os Estados Unidos executaram 1.422 presos, 60 deles na Geórgia.

A próxima execução está programada para 7 de janeiro de 2016, dia no qual a Flórida irá administrar uma injeção letal a Oscar Bolin pelo assassinato de três mulheres em 1986. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Estados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.