Reuters
Reuters

Estado de saúde de Mandela continua crítico, diz governo sul-africano

Zuma enviou comunicado pedindo que pessoas apoiem o líder antiapartheid e sua família

O Estado de S. Paulo,

25 Junho 2013 | 10h52

JOHANESBURGO - O escritório do presidente da África do Sul, Jacob Zuma, informou que Nelson Mandela continua em estado crítico no hospital. Zuma disse em comunicado, divulgado nesta terça-feira, 25, que as pessoas devem apoiar o ex-presidente e líder antiapartheid, assim como sua família, e mostrar amor e apreço por sua liderança.

O comunicado do escritório de Zuma diz que o estado de saúde de Mandela continua inalterado e que os médicos fazem o melhor que podem para assegurar sua "recuperação, bem-estar e conforto".

Mandela, que tem 94 anos, foi levado a um hospital de Pretória em 8 de junho para tratar uma infecção pulmonar recorrente. No domingo, o governo informou que seu estado piorou e ficou crítico.

Mandela deixou a Presidência em 1999, após cumprir um só mandato, e desde então se mantém politicamente discreto no país. Sua última aparição pública foi acenando para torcedores em um carrinho elétrico, logo antes da final da Copa do Mundo de 2010, em Johanesburgo.

Madiba, como é carinhosamente conhecido no país, é reverenciado entre a maioria dos 53 milhões de sul-africanos como o arquiteto da transição para a democracia multiracial, após três séculos de regime branco. No entanto, a mais recente internação do líder - a quarta em seis meses - reforçou a percepção de que o pai da "Nação Arco-Íris" não estará sempre por perto.

A piora do estado da saúde de Mandela causou uma mudança perceptível no humor nacional. Em vez de orações por sua recuperação, o país passou a preparar um adeus. "Seria egoísta de nossa parte esperar que ele viva para sempre", disse a chef Andisiwe Matiwane, de 29 anos, moradora da Cidade do Cabo. "Precisamos ser maduros emocionalmente e deixarmos a natureza seguir seu curso. Gostaríamos muito que ele ficasse aqui para sempre, mas isso é impossível." / REUTERS e AP

Mais conteúdo sobre:
África do SulNelson Mandela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.