Estado de saúde de Sharon é grave; cirurgia continua

O primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, continua na sala de cirurgia onde seguirá durante várias horas e sua situação é muito grave, segundo informou o Hospital Universitário Hadassah, em Jerusalém. Sharon foi submetido a uma intervenção cirúrgica por causa de uma grave hemorragia cerebral.Oito horas depois de o primeiro-ministro ser internado no hospital, o diretor-geral do centro, Shlomo Mor Iosef, informou que "há áreas (do cérebro) que ainda precisam ser tratadas", mas não especificou quais.O chefe de governo israelense respira com a ajuda de aparelhos e "sua situação é difícil", indicou Mor Iosef. Depois de receber remédios para parar a hemorragia, Sharon foi submetido a uma tomografia computadorizada e voltou à sala de cirurgia para continuar com a operação."Estas operações são muito longas e podem durar várias horas mais", disse o diretor-geral do Hospital Hadassah de Jerusalém.O vice-primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, assumiu provisoriamente e convocou o Conselho de Governo. A forte hemorragia cerebral sofrida por Sharon ontem à noite pode impedir que ele volte a exercer suas funções, segundo os médicos especialistas, ao destacar a gravidade do estado do primeiro-ministro."Tudo o que nos resta fazer é rezar por ele", disse o ex-líder do Partido Trabalhista israelense Shimon Peres. Fontes não oficiais disseram que os cirurgiões não conseguiram conter a hemorragia. O ceticismo parecia se estender entre os neurocirurgiões, que faziam comentários às emissoras locais.O estado de Sharon, que em 28 de março tentaria conseguir a reeleição nas eleições nacionais para impulsionar o processo de paz com os palestinos à frente de seu novo Partido Kadima, causa grande preocupação na classe política e na opinião pública israelense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.