Alexas_Fotos / Pixabay
Alexas_Fotos / Pixabay

Estado do Alabama aprova projeto de castração química para pedófilos

Governadora Kay Ivey deve decidir se ratifica ou não a medida; trata-se de uma exigência para sair da prisão, uma vez cumprida a pena

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2019 | 06h59

WASHINGTON - A Assembleia Legislativa do Estado do Alabama, no sul dos Estados Unidos, aprovou uma lei que exige a castração química para pedófilos condenados, informaram na terça-feira, 4, os veículos de imprensa locais.

O projeto está agora nas mãos da governadora, a republicana Kay Ivey, que deve decidir se o ratifica ou não. Se ratificada, a lei entrará em vigor três meses após a assinatura. O texto exige castração química para pedófilos condenados por crimes sexuais com crianças de até 13 anos de idade.

Trata-se de uma exigência para sair da prisão, uma vez cumprida a pena. Caso o réu se negue a passar pela castração, corre o risco de continuar na cadeia.

O promotor do projeto, o congressista republicano Steve Hurst, ressaltou que a medida "pode reduzir o número" de abuso sexuais contra menores no Estado. "Eles marcaram uma criança pelo resto da vida e a punição deve ser proporcional ao crime", disse o legislador em entrevista à emissora WIAT, subsidiária local da CBS.

Vários Estados americanos contam com castração química para pedófilos ou outros condenados por crimes sexuais. A Califórnia foi o primeiro a aprovar a medida, em 1996, para pedófilos com certos crimes sexuais com crianças de 13 anos, como estupro e sodomia. Flórida, Geórgia, Iowa, Louisiana, Montana, Oregon, Texas e Wisconsin também têm medidas similares. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.