APPhoto
APPhoto

Estado Islâmico anuncia execução de gays, herege e 'espião israelense'

'Corte' do grupo radical condenou 2 homens por homossexualidade; vídeo mostra menino executando suposto agente de Israel

O Estado de S.Paulo

10 Março 2015 | 16h16

 BAGDÁ - O grupo radical Estado Islâmico (EI) – que controla amplas áreas do Iraque e da Síria – anunciou nesta terça-feira, 10, que executou dois homens condenados por homossexualidade e um outro acusado de blasfêmia. Os militantes divulgaram também imagens em que um menino aparece executando com um disparo de pistola na testa um suposto espião israelense.

Em um vídeo publicado na internet, o EI mostrou um idoso lendo, diante de uma plateia, uma sentença de morte para os acusados de homossexualidade e heresia. Foram exibidas no vídeo três imagens separadas dos "réus" – ajoelhados e vendados, com as mãos amarradas atrás das costas, ao lado de um carrasco vestido de preto, segurando uma grande espada sobre suas cabeças.

Nenhuma imagem de decapitação foi exibida, mas os radicais mostraram, após as fotos dos condenados, uma espada aparentemente ensanguentada. No momento seguinte, aparecem dois documentos, datados do domingo, 8, de um “tribunal” do EI na província iraquiana de Nínive. Uma das “sentenças” condenava um homem por blasfêmia, a outra afirmava que os condenados por homossexualidade deveriam enfrentar “o julgamento de Deus”. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.