EFE/EPA/ALI ABBAS
EFE/EPA/ALI ABBAS

Estado Islâmico ataca usina a gás e mata 12 no Iraque

Carro-bomba atingiu o portão principal da usina que fica a cerca de 20 quilômetros de Bagdá

Associated Press, O Estado de S.Paulo

15 Maio 2016 | 11h28

BAGDÁ - O grupo Estado Islâmico lançou um ataque coordenado neste domingo a uma usina de gás natural localizada ao norte da capital iraquiana, o que provocou a morte de pelo menos 12 pessoas, segundo autoridades locais.

O ataque começou de madrugada com um carro-bomba atingindo o portão principal da usina na cidade de Taji, cerca de 20 quilômetros ao norte de Bagdá. Em seguida, vários homens-bomba e militantes invadiram o local e entraram em confronto com forças de segurança, disse um funcionário, acrescentando que 25 soldados ficaram feridos. Uma autoridade médica confirmou o número de vítimas. Ambos os funcionários falaram sob condição de anonimato, pois não estavam autorizados a divulgar informações.

A agência de notícias Aamaq, afiliada do Estado Islâmico, atribuiu o ataque a um grupo de "Soldados do Califado".

Em um comunicado, o ministro interino do Petróleo Hamid Younis afirmou que bombeiros conseguiram controlar e extinguir um incêndio causado pelas explosões. De acordo com ele, técnicos estavam examinando os danos à usina.

Extremistas do Estado Islâmico ainda controlam áreas significativas no norte e no oeste do Iraque, incluindo a segunda maior cidade de Mosul. O grupo declarou um califado islâmico no território que detém no Iraque e na Síria.

Recentemente, o Estado Islâmico aumentou seus ataques para longe das linhas de frente de combate, em uma campanha que autoridades iraquianas dizem ser uma tentativa de distrair de suas recentes perdas no campo de batalha. Desde quarta-feira, mais de 100 pessoas foram mortas em uma série de atentados em Bagdá e outros lugares.

Mais conteúdo sobre:
Estado Islâmico Iraque Síria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.