Estado Islâmico divulga terceiro vídeo de refém britânico na Síria

Na mensagem, o grupo critica os ataques aéreos lançados pelos Estados Unidos contra os jihadistas

O Estado de S. Paulo

30 de setembro de 2014 | 09h08

 DAMASCO - O Estado Islâmico (EI) divulgou nesta terça-feira, 30, um terceiro vídeo com um de seus reféns na Síria, o jornalista britânico John Cantlie. Na mensagem, o grupo critica os ataques aéreos lançados pelos Estados Unidos contra os jihadistas.

Na gravação, de cinco minutos e meio de duração, Cantlie é obrigado a se apresentar, da mesma forma que em vídeos anteriores, como "o cidadão britânico abandonado por seu governo e prisioneiro durante longo tempo do Estado Islâmico".

O refém analisa o discurso feito por Obama em função do 13º aniversário dos atentados de 11 de setembro, que o EI considerou como "decepcionantemente previsível" porque aponta os "EUA como o bom e o Estado Islâmico como o mau".

"Obama diz que derrotará (o EI) com a força aérea e uma coleção heterogênea de combatentes no terreno. O Estado Islâmico, por sua parte, dá as boas-vindas ao exército em construção de Obama", afirmou o refém.

Como em ocasiões anteriores, Cantlie, vestido com uma roupa laranja, aparece sentado em uma mesa com fundo negro, em um simulacro de um programa de televisão dos jihadistas, e anuncia que haverá novas gravações.

Trata-se do terceiro vídeo deste tipo em duas semanas no qual se vê Cantlie, que foi sequestrado pelo EI em novembro de 2012.

Desde agosto, a organização extremista sunita publicou gravações com a decapitação de três de seus sequestrados: os jornalistas americanos James Foley e Steve Sotloff e o voluntário britânico David Haines. / EFE

Mais conteúdo sobre:
SíriaEstado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.