Estado Islâmico diz que grupo vai lutar até o fim

O líder do grupo extremista Estado Islâmico, Abu Bakr Al Baghdadi, afirmou que o grupo vai lutar até o último homem, em uma gravação divulgada nesta quinta-feira. Foi sua primeira aparição pública desde que a campanha liderada pelos EUA lançou bombardeios aéreos contra combatentes no Iraque e na Síria.

Estadão Conteúdo

13 Novembro 2014 | 16h57

O comunicado foi divulgado em uma rede social na internet seis dias após autoridades iraquianas afirmarem que Al Baghdadi foi ferido em um ataque aéreo no Iraque. Não ficou claro se a gravação foi feita antes ou depois do incidente.

No áudio de 17 minutos, o líder extremista jurou que lutaria até o fim. "Deus nos ordenou a lutar", afirmou. "Por esse motivo, os militantes do Estado Islâmico estão lutando e nunca vão deixar o combate, ainda que fique apenas um homem", completou.

A gravação parecia autêntica e a voz parece a mesma dos comunicados anteriores divulgados pelo grupo. O grupo pediu aos muçulmanos que travem a guerra santa em todos os lugares e que ataquem e matem "apóstatas" na Arábia Saudita e no Iêmen, especificamente. Acredita-se que uma gravação anterior motivou militantes na Argélia a matarem e decapitarem um cidadão francês. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Estado Islâmicogravação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.