Ataque suicida contra base da polícia no Iraque deixa 37 mortos

Militantes do Estado Islâmico atingiram a base, entre a cidade de Samarra e o lago Tharthar, com carro carregado de explosivos

O Estado de S. Paulo

01 de junho de 2015 | 11h42

BAGDÁ - Pelo menos 37 pessoas morreram e outras 40 ficaram feridas em um ataque suicida de militantes do Estado Islâmico (EI) com um veículo blindado repleto de explosivos que se chocou contra uma base da polícia no Iraque nesta segunda-feira, 1.

De acordo com fontes oficiais, o ataque teve como alvo a sede da Polícia Federal entre Samarra e o lago Tharthar, ao noroeste de Bagdá. Fontes de segurança afirmam, porém, que o alvo teria sido a instalação militar de Muthanna, utilizada em uma operação que tenta cortar as linhas de fornecimento de suprimento dos extremistas na Província de Anbar

A explosão do carro-bomba destruiu um armazém de munição e de equipamentos militares e resultou em uma grande explosão secundária, que causou danos materiais nos prédios da instalação.

A fonte disse que o número de vítimas ainda não é definitivo e não descartou que aumente, esclarecendo que os feridos foram internados em hospitais próximos.

Em Anbar há uma grande presença de jihadistas do Estado Islâmico, que controlam amplas áreas da província. 

A capital de Anbar, Ramadi, foi tomada pelos insurgentes duas semanas atrás, na derrota mais significativa das forças iraquianas desde que a aliança liderada pelos Estados Unidos começou a bombardear os militantes.

O primeiro-ministro do Iraque, Haider Abadi, prometeu iniciar um rápido contra-ataque para retomar a cidade, mas grupos paramilitares xiitas assumiram o comando da ofensiva e disseram que redutos restantes dos militantes na Província de Saladino devem ser eliminados primeiro. / EFE, AFP, AP e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEstado Islâmicocarro-bomba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.