Estado Islâmico gera US$ 800 milhões graças ao petróleo

Empresa americana diz que grupo lucra mesmo produzindo apenas uma fração da capacidade de petróleo do território sob seu controle

O Estado de S. Paulo

21 de outubro de 2014 | 15h47

WASHINGTON - A produção de petróleo do Estado Islâmico (EI) é estimada em US$ 800 milhões, o equivalente a US$ 2 milhões por dia, segundo cálculos da empresa americana IHS.

"O grupo terrorista é capaz de gerar lucros significativos mesmo produzindo apenas uma fração da capacidade de petróleo do território sob seu controle e vendendo o que produz com um preço muito baixo no mercado negro", diz a IHS em um comunicado.

A empresa americana acredita que a capacidade de produção do EI é de 350.000 barris por dia (bpd), mas tem produzido apenas entre 50 e 60 mil bpd, que depois é vendido no mercado negro por um preço entre US$ 25 e US$ 60 o barril (US$ 40 em média) - bem abaixo das taxas vigentes nos mercados internacionais, o Brent está atualmente em torno de US$ 85 por barril.

As vendas de petróleo do EI se "fazem essencialmente por meio de caminhões por rotas de contrabando a partir da fronteira com a Turquia", explica IHS. "O petróleo alimenta a máquina de guerra do EI, especialmente os veículos militares vitais para seus movimentos e combates" e "financia diretamente as muitas atividades" do grupo, diz a empresa.

No entanto, a capacidade de refino do EI não está claramente estabelecida. A IHS estima ser bastante limitada a unidades móveis que cobrem principalmente o consumo próprio do grupo.

Os jihadistas do EI, que lançaram uma grande ofensiva no início de junho no Iraque, controlam extensas faixas de território iraquiano e tentam tomar a cidade curda de Kobani, na Síria. / AFP

 

Tudo o que sabemos sobre:
Estado Islâmicopetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.