REUTERS/Yaser Al-Khodor
REUTERS/Yaser Al-Khodor

Estado Islâmico pede a muçulmanos que destruam tevês via satélite

Segundo o grupo radical, os aparelhos devem ser destruídos para não 'poluir a ética' islâmica

O Estado de S. Paulo

01 Junho 2016 | 05h00

CAIRO - O grupo radical Estado Islâmico pediu aos muçulmanos nesta terça-feira  (31) que destruam seus aparelhos de TV via satélite para evitar que canais hostis “destruam as suas crenças e poluam sua ética”.

O grupo radical sunita divulgou a orientação no momento em que a pressão militar contra ele aumenta com ataques a seus redutos na cidade síria de Raqqa, e na cidade iraquiana de Falluja, a oeste de Bagdá.

“Os inimigos do Islã estão travando uma guerra via mídia contra o Estado Islâmico que não é menos perigosa do que a campanha militar”, afirmou o grupo na sua conta no Telegram num vídeo filmado em Raqqa. O grupo não disse se tentará impor a instrução em território sob o seu controle na Síria e no Iraque.

O Estado Islâmico especificou canais religiosos financiados pela Arábia Saudita e também mostrou os logotipos dos canais al-Jazeera e Orient TV, um canal próximo à oposição síria, além da TV religiosa egípcia al-Nas. 

Mais conteúdo sobre:
Estado Islâmicotevêssatélite

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.