Sana/AP
Sana/AP

Estado Islâmico se apoderou de armamentos abandonados por forças do governo sírio em Palmyra

Porta-voz do Pentágono disse que os extremistas podem ter se apoderado de ‘veículos blindados e artilharia’

O Estado de S.Paulo

14 Dezembro 2016 | 09h19

WASHINGTON - O Pentágono confirmou na terça-feira que o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) se apoderou do armamento abandonado pelo governo sírio após retomar o controle da cidade histórica de Palmyra. O EI está comandando a cidade desde domingo, nove meses após ser expulso pelas forças leais ao presidente Bashar Assad e pelos bombardeios do Exército russo.

É "possivelmente um dos contra-ataques mais importantes que vimos do EI", disse o porta-voz do Pentágono, o capitão Jeff Davis. Os extremistas se apropriaram de tudo deixado pelo governo sírio e "isto pode incluir veículos blindados, artilharia", ressaltou o oficial.

O EI conquistou Palmyra pela primeira vez em maio de 2015, destruindo um conjunto arqueológico considerado Patrimônio da Humanidade. O Pentágono e os membros da coalizão internacional acusaram Damasco e Moscou de se esquecerem da cidade e de suas relíquias ao se concentrarem em bombardear os rebeldes em Alepo.

"Sem dúvida pode haver um debate sobre o regime (sírio), apoiado pela Rússia, ter se concentrado em Alepo e fracassado em controlar" Palmyra, afirmou Davis. O porta-voz do Pentágono também afirmou que as tropas leais a Assad abandonaram a antiga cidade "muito depressa" antes da chegada do EI. Moscou acusou os EUA de não coordenarem sua estratégia militar, permitindo ao EI contra-atacar em Palmyra.

John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado, disse que a Rússia e Assad nunca estiveram comprometidos em lutar contra o EI na Síria. Seus esforços estavam direcionados a "esmagar violentamente a oposição, apesar de provocar muitas mortes inocentes", destacou. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.