REUTERS/Ammar Abdullah
REUTERS/Ammar Abdullah

Cercado em Raqqa, Estado Islâmico se retira da província de Alepo

Do outro lado do país, a cidade de Raqqa, capital administrativa do Estado Islâmico está desde ontem cercada por milícias curdas apoiadas pelos Estados Unidos

O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2017 | 12h02

DAMASCO - O grupo extremista Estado Islâmico (EI) se retirou totalmente nesta sexta-feira, 30, de Alepo, encerrando uma presença de quatro anos nessa província do norte da Síria, afirmou  o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), ONG que monitora o conflito no país.

"O Daesh (acrônimo árabe do Estado Islâmico) se retirou completamente da província de Alepo frente ao avanço das forças do regime", declarou o diretor da ONG, Rami Abdel Rahmane, utilizando um acrônimo em árabe do EI.

Esta retirada de Alepo foi confirmada por uma fonte militar síria e se deve ao avanço de tropas do regime de Bashar Assad apoiadas pela Rússia. 

Do outro lado do país, a cidade de Raqqa, capital administrativa do Estado Islâmico está desde ontem cercada por milícias curdas apoiadas pelos Estados Unidos. 

Militantes do EI estão cercados após o último acesso à cidade ser fechado pela aliança curdo-árabe que conduz uma ofensiva na cidade. As Forças Democráticas Sírias (FDS), apoiadas por uma coalizão liderada pelos EUA, assumiram o controle de uma região ao sul do Rio Eufrates e bloquearam a última estrada que o EI poderia utilizar para se retirar de Raqqa. / AFP e EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.