Estado tunisiano irá apreender todos os bens do partido de Ben Ali

Ex-presidente foi deposto após revolta popular

Efe

20 de janeiro de 2011 | 17h26

TÚNIS - O Estado tunisiano irá apreender todos os bens do Reunião Constitucional Democrático (RCD), o partido do governo do presidente deposto Zine el Abdine Ben Ali, anunciou nesta quinta-feira, 20, o porta-voz do governo de transição, Taieb Bacuche.

 

"O Conselho de Ministros decidiu restituir todos os bens móveis e imóveis do RCD", disse Bacuche.

 

O RCD controlava o poder e a administração do Estado durante o regime de Ben Ali, tanto em nível central, regional e local até o ponto que suas estruturas se confundiam com as públicas.

 

O primeiro-ministro, Mohamed Ghannouchi, tinha prometido nesta semana separar o Estado do partido de Ben Ali e também o presidente interino, Fouad Mebazaa, se comprometeu realizar uma separação de poderes.

 

Desde a fuga do presidente na sexta-feira passada, os tunisianos reivindicaram em todo o país a dissolução do RCD e a saída dos membros do partido do Governo de transição.

 

Nesta quinta-feira, cerca de 5 mil pessoas se concentraram na frente da sede principal da formação no centro de Tunísia pedindo o fim do partido da vida política do país.

 

Os ministros do RCD no novo Executivo abandonaram nesta quinta-feira sua militância no partido, após ter anunciado a dissolução do Comitê Político, seu principal órgão de direção.

 

Ben Ali, que estava a mais de duas décadas no poder, foi deposto após uma revolução popular. O novo governo de união, formado na segunda-feira, sofre várias críticas por ser majoritariamente formado por governistas.

Tudo o que sabemos sobre:
TunísiaBen AliRCDpartido

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.