Estados do Brasil, México e EUA unem-se em mercado de carbono

Segundo a secretária de Proteção Ambiental da Califórnia, o Acre e Chiapas são regiões muito desmatadas, mas que têm feito progressos consideráveis contra o problema

Reuters

16 de novembro de 2010 | 09h43

DAVIS, CALIFÓRNIA - O governo do estado norte-americano da Califórnia assina nesta terça-feira, 16, acordos que incorporam projetos-piloto de preservação florestal no estado do Acre e em Chiapas (México) ao mercado californiano de carbono, segundo uma autoridade da Califórnia.

 

Linda Adams, secretária de Proteção Ambiental da Califórnia, disse que a inclusão desses projetos pode abrir caminho para outras iniciativas semelhantes. Segundo ela, o Acre e Chiapas são regiões muito desmatadas, mas que têm feito progressos consideráveis contra o problema.

 

"Eles têm a meta de entrar no nosso mercado (de créditos de carbono) quando ele começar, em 2012", disse Adams. "Serão projetos-piloto, em vez de simplesmente uma abertura ao mundo e à polêmica."

 

Os acordos precisarão ser regulamentados pela Comissão de Recursos do Ar, ligada ao governo da Califórnia e responsável pela regulamentação de questões ligadas ao clima.

 

Pelo mecanismo de créditos de carbono, indústrias e usinas energéticas podem comprar e vender autorizações para a emissão de gases do efeito estufa, sob a premissa que de o mercado irá encontrar por si só a melhor forma de controlar as emissões.

 

Empresas que emitem além da sua quota podem adquirir créditos relacionados a projetos que reduzam as emissões em outro lugar. A preservação florestal é considerada a forma mais barata de reduzir as emissões, mas isso é polêmico. Os poucos mercados de carbono já existentes no mundo têm evitado a concessão de créditos pela chamada Redução das Emissões pelo Desmatamento e Degradação Florestal (REDD). O mercado de carbono da Califórnia começará a operar em 2012.

 

Os governadores do Acre e de Chiapas participam na Califórnia da terceira Cúpula Global Climática de Governadores, que se destina a estimular ações de governos locais contra a mudança climática - um esforço que ganha ainda maior importância diante da falta de ação mundial e dos EUA na questão climática.

 

O governador republicano da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, em breve entregará o cargo ao democrata Jerry Brown, que foi eleito pregando a importância de manter a lei estadual sobre a mudança climática.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
EUABrasilMéxicomercadocarbono

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.