Estados Islâmico é acusado de usar armas químicas na Síria

Militantes do Estado Islâmico foram acusados de usar pela primeira vez um agente químico em um ataque na Síria, de acordo com relatos de rebeldes da oposição e moradores locais.

Estadão Conteúdo

23 de agosto de 2015 | 16h29

O ataque ocorreu na sexta-feira perto da cidade de Aleppo, matando uma pessoa e ferindo pelo menos dez, disseram os moradores. O ataque se sucedeu aos comentários dos Estados Unidos de que acreditava que o Estado Islâmico havia usado gás mostarda contra forças curdas no Iraque na semana passada - a primeira indicação de que os militantes tinham obtido armas químicas proibidas.

Tariq Najjar, enfermeiro-chefe do hospital de Marea, disse que os feridos de bombardeio tinham o que parecia ferimentos causados por estilhaços convencionais. Mas a equipe detectou um mau cheiro vindo dos ferimentos. Horas mais tarde, segundo ele, as vítimas começaram a ter dificuldade para respirar, manchas vermelhas na pele, diarreia e olhos lacrimejantes - todos os sintomas de guerra química. Ele disse que as vítimas incluíam uma família com dois filhos pequenos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
SÍRIAESTADO ISLÂMICO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.