Estados Unidos adiam cinco execuções em uma semana

Um juiz da Carolina do Norte suspendeu na noite de sexta-feira (hora local) a execução de um assassino. É a quinta medida deste tipo tomada em apenas uma semana nos Estados Unidos.Fontes judiciais do condado de Wake, na Carolina do Norte,disseram que o juiz Donald Stephens adiou a execução até serem definidas as funções dos médicos em um caso de pena de morte. A medida beneficiou James Adolph Campbell, declarado culpado do assassinato de uma mulher em 1993.O mesmo juiz tinha suspendido na quinta-feira a execução deMarcus Reymond Robinson e a de James Edward Thomas.Segundo as leis do estado da Carolina do Norte, em cada execução deve haver um médico. No entanto, o Colégio Médico do estado anunciou este mês que a exigência constituía uma violação da ética da profissão.As autoridades do estado decidiram substituir o médico por uma enfermeira e um técnico, encarregados de constatar a morte do condenado. No entanto, Stephens citou uma lei de 1909 que exige a aprovação do governador e de outras nove autoridades do estado para a mudança nas regras.O juiz Antonin Scalia, da Suprema Corte dos Estados Unidos, havia antes adiado a execução de Ronald Chambers, que espera nos corredores da morte do estado do Texas há 31 anos, condenado por seqüestro e assassinato a tiros de um homem que roubou seu automóvel.As fontes informaram que Scalia determinou a revisão do caso, pedida pelos advogados.Um tribunal de apelações do Texas também suspendeu naquarta-feira a execução de um universitário, declarado culpado do seqüestro e assassinato de uma colega há oito anos, para permitir uma revisão das provas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.