Fayaz Kabil/Reuters
Fayaz Kabil/Reuters

EUA estudam enviar mais 3 mil soldados ao Afeganistão

Decisão teria como objetivo retomar as negociações com o Taleban, já que o grupo está 'cada vez mais combativo e seguro'

O Estado de S.Paulo

09 Maio 2017 | 04h08
Atualizado 09 Maio 2017 | 09h01

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Donald Trump, analisa uma nova estratégia para o Afeganistão que inclui o envio de 3 mil soldados e a cessão de mais poder ao Pentágono. A proposta foi elaborada por assessores militares e de política externa, informou nesta terça-feira, 9, o jornal The Washington Post.  

O envio de mais tropas teria como objetivo retomar as negociações com o Taleban, já que o grupo está "cada vez mais combativo e seguro". Se Trump autorizar o novo plano, o número de soldados passaria de 8,4 mil para 11,4 mil. E seriam, a partir de agora, os militares do Pentágono e não da Casa Branca os responsáveis por retirar ou enviar novos soldados.  

Os EUA tinham 100 mil soldados no Afeganistão durante a presidência de Obama, quando em 2011 foi assassinado o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, no Paquistão. 

Os contrários a essa estratégia intervencionista argumentam que nem Obama conseguiu concessões militares do Taleban. 

Trump chegou à Casa Branca com a promessa de reduzir o intervencionismo militar dos EUA no exterior, mas também com o objetivo de combater o terrorismo. Em meados de abril, usou pela primeira vez a maior bomba não nuclear, um gigantesco projétil de 10 toneladas, para destruir um complexo sistema de túneis do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) no Afeganistão. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.