George Ourfalian/AFP
George Ourfalian/AFP

Estados Unidos negam que mesquita fosse alvo de ataque na Síria

De acordo com forças americanas, operação tinha como mira reunião de terroristas

O Estado de S.Paulo

17 de março de 2017 | 03h16

WASHINGTON - As forças armadas americanas reconheceram nesta quinta-feira, 16, serem responsáveis por um ataque aéreo no norte da Síria que deixou ao menos 42 mortos, mas negaram que o alvo fosse uma mesquita. De acordo com os militares, o objetivo era atacar uma reunião de terroristas.

"Não tínhamos uma mesquita como alvo, porém o edifício que era a mira - onde os terroristas estavam - se localiza a 50 metros de uma mesquita", disse o porta-voz do comando central das forças armadas americanas, coronel John J. Thomas. "Vamos examinar todas as denúncias de vítimas civis em relação a este ataque."

O ataque ocorreu na manhã desta quinta no povoado de Idlib, na província de Alepo. A região tem forte presença da Frente al-Nusra, que até julho era a filial da Al-Qaeda na Síria. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
WASHINGTONSíriaAlepoAl-Qaeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.