Estados Unidos podem triplicar ajuda financeira ao Líbano

Os Estados Unidos planejam triplicar sua ajuda ao frágil governo democrático no Líbano, como parte do novo plano de investimento e desenvolvimento no conturbado país.A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice disse que a administração está liberando U$ 770 milhões na nova ajuda ao Líbano. O envio dinheiro, que ainda precisa ser aprovado pelo Congresso, irá reconstruir o país da devastadora guerra de verão entre militantes do Hezbollah e Israel. Uma conferência internacional que reuniu 35 países em Paris esperava enviar U$ 5 bilhões ao Líbano nesta quinta-feira, após os protestos violentos realizados no país. Os executivos americanos ainda detalharam o plano de investimento privado como parte da sessão de Paris. Em um exemplo, Citicorp enviou U$120 milhões em empréstimos e financiamentos a três bancos libaneses, disse a secretária assistente do Estado, Dina H. Powell.A economia do Líbano, no entanto, é sólida, embora outras duas conferências em Paris desde 1998 e em Estocolmo, na Suécia, enviaram U$ 1 bilhão para uma reconstrução pós-guerra.A ajuda americana inclui também o envio de U$ 220 milhões para forças militares. Com o dinheiro, será possível comprar armas de médio porte, munição e peças de reposição, disseram os Estados Unidos.O Líbano estima que precisa de cerca de U$3,5 bilhões para reparar os danos em construções do país. O país já deve U$40 bilhões por conta da guerra civil nos anos 70.Se aprovado pelo Congresso, o dinheiro enviado pelos EUA será três vez maior que os U$ 40 milhões liberados anualmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.