Estados Unidos reafirmam que Síria estará melhor sem Assad

Casa Branca volta a dizer que presidente sírio perdeu a legitimidade para governar após repressão

Agência Estado

15 de agosto de 2011 | 15h01

WASHINGTON - A Casa Branca disse nesta segunda-feira, 15, que o presidente da Síria, Bashar Assad, perdeu a legitimidade e o povo sírio "estará melhor sem ele". A declaração partiu do porta-voz do governo americano, Jay Carney, reafirmando o que as autoridades dos Estados Unidos já haviam dito anteriormente.

 

Veja também:

linkEspanha estaria disposta a oferecer asilo a Assad 

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

 

 

Carney afirmou que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, "não tem dúvidas de que o povo sírio estará melhor sem ele (Assad)". Ele reafirmou que Assad perdeu a legitimidade após mais de cinco meses de repressão.

 

 

A condenação da Casa Branca é feita após mais um final de semana sangrento na Síria, quando tropas do governo atacaram a oposição na cidade de Latakia, no Mediterrâneo. O ataque à cidade portuária forçou a fuga de milhares de refugiados palestinos, disseram ativistas e a Agência das Nações Unidas para os Refugiados Palestinos (UNRWA).

 

Segundo a UNRWA, navios de guerra sírios dispararam contra o campo de refugiados palestinos de El Rameh, nas proximidades de Latakia. A entidade afirma que existem civis mortos e feridos. Segundo a agência, mais de 5 mil refugiados palestinos deixaram o campo após o bombardeio.

 

O secretário-geral da Organização pela Libertação da Palestina (OLP), Yasser Abed Rabbo, denunciou o ataque da Marinha síria contra El Rameh e disse que essa violência faz parte dos "crimes contra a humanidade" cometidos por Assad tanto contra palestinos quanto contra sírios. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.