Doug Mills/ NYT
Doug Mills/ NYT

Estados Unidos suspendem assistência militar ao Egito

Decisão é resposta ao golpe militar que destituiu, em julho, o presidente democraticamente eleito, Mohamed Morsi

O Estado de S. Paulo,

09 de outubro de 2013 | 17h53

WASHINGTON - O governo dos Estados Unidos suspendeu formalmente nesta quarta-feira, 9, a maior parte da bilionária assistência militar ao Egito em resposta ao golpe militar que derrubou o primeiro presidente democraticamente eleito da história do país árabe, Mohamed Morsi.

O anúncio foi feito pelo Departamento de Estado dos EUA. A chancelaria norte-americana não entrou em detalhes sobre os números. No entanto, desde 1979 os EUA enviam em média US$ 1,5 bilhão por ano ao Egito. Desse total, US$ 1,3 bilhão é dedicado a ajuda militar.

A porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Jen Psaki, disse que Washington suspenderá a entrega de "sistemas militares" e da ajuda em dinheiro até que seja observado algum "progresso confiável" na direção de eleições livres e justas no Egito.

Psaki especificou apenas que será mantido o fluxo de dinheiro dedicado a investimentos em saúde e educação, assim como ajuda para que o Egito controle suas fronteira, combata o "terrorismo" e garanta a segurança no Sinai.

Os EUA analisavam a possibilidade de suspender a ajuda desde o golpe militar de 3 de julho, que culminou na deposição do presidente Mohamed Morsi e deu início a uma brutal campanha de repressão à Irmandade Muçulmana, grupo ao qual o líder deposto é ligado.

Os principais assessores de segurança nacional do presidente Barack Obama recomendam o corte desde o fim de agosto, mas os recentes desdobramentos da guerra civil Síria desviaram o foco do governo norte-americano.

Também nessa quarta-feira, a justiça egípcia marcou o início do julgamento de Morsi para 4 de novembro. Ele é mantido incomunicável em um local não revelado desde o golpe militar. /AP

Tudo o que sabemos sobre:
EUAEgitoajuda militarsuspensão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.