Spencer Platt/Getty Images/AFP
Spencer Platt/Getty Images/AFP

Estados Unidos têm mais de 40 mil mortos por coronavírus

País é o mais atingido no mundo pela pandemia, com 742 mil casos

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2020 | 16h57

As mortes em decorrência da pandemia do novo coronavírus superaram a marca de 40 mil nos Estados Unidos neste domingo, 19. Os dados são de um levantamento da Universidade Johns Hopkins, que atualiza em tempo real os casos em todo o planeta. O país tem mais de 742 mil casos confirmados da covid-19. 

O país é o mais atingido pela pandemia. Somente na cidade de Nova York, o número de mortos chegou a 14 mil. A universidade informa também que os EUA conduziram o maior número de testes, com cerca de 3,7 milhões. Em Nova York, foram quase 600 mil testes. 

Depois dos Estados Unidos, os outros países mais atingidos são Espanha e Itália. Somados, os dois países europeus têm quase 375 mil pessoas contaminadas e registraram 44.113 mortes. 

Um levantamento da agência Reuters mostrou que entre a primeira morte e os 10 mil casos, foram necessários 38 dias nos EUA. No entanto, para o número duplicar foi preciso apenas cinco dias. E, agora, as mortes avançaram de 30 para 40 mil em apenas quatro dias. 

Mais de 22 milhões de americanos entraram com pedido de benefícios para desempregados no mês passado após o fechamento de empresas, escolas e severas restrições de viagens. Governadores nos Estados mais atingidos têm entrado em conflito com o presidente Donald Trump, que deseja que a economia seja reaberta o quanto antes. 

No mundo todo, a pandemia superou neste domingo a marca de 2,3 milhões de contágios e deixou 164 mil mortos. Por sua vez, o número de pessoas recuperadas da doença chegou a 611 mil. Os países com mais recuperados são Alemanha (88 mil), China (77.690), Espanha (77.357) e Estados Unidos (67.052). / Com informações da Reuters  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.