'Estamos à beira de um desastre', diz premiê ucraniano

O primeiro-ministro ucraniano, Arseniy Yatsenyuk, acusou a Rússia de declarar guerra ao seu país e classificou que a atual situação da Ucrânia está "à beira de um desastre". Em coletiva de imprensa realizada há pouco no parlamento ucraniano, o premiê convocou ajuda da comunidade internacional para pressionar o presidente russo Vladimir Putin a retirar as suas tropas da península da Crimeia. Na região, a maioria dos moradores é de origem russa, mas possui cidadania ucraniana.

Agência Estado

02 de março de 2014 | 09h34

"Se o presidente Putin quer ser o presidente que iniciará uma guerra entre dois países amigos e vizinhos, ele está (quase) alcançado esta meta", disse Yatsenyuk. "Estamos à beira de um desastre. Não havia nenhuma razão para a Federação Russa para invadir a Ucrânia".

O premiê deverá se reunir ainda neste domingo com o ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, William Hague, que chegará em Kiev para negociações com as novas lideranças do país. Hague também tenta negociar com diplomatas russos para encontrar uma saída pacífica para o conflito.

Na tarde desse sábado (01), a Ucrânia ordenou que suas forças armadas estivessem de "prontidão para o combate" e emitiu ordem para desviar recursos financeiros e técnicos para um eventual conflito.

Diplomatas ocidentais duvidam que o Exército ucraniano seria capaz de conter as tropas russas, que já assumiram o controle de alguns pontos da Crimeia. Segundo o chefe de Defesa da Ucrânia, cerca de 6 mil soldados russos já estariam na península, o que representaria uma violação da soberania da região. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaRússiaprimeiro-ministro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.