REUTERS/Adriano Machado
REUTERS/Adriano Machado

'Estamos alinhados às políticas dos EUA', diz Bolsonaro sobre retenção de navios do Irã

Questionado se tinha conversado com Trump sobre o impasse, presidente disse que 'certas coisas não precisa conversar' e 'sabe o que fazer' sobre o caso

Mariana Haubert, O Estado de S.Paulo

21 de julho de 2019 | 15h50

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste domingo que não precisar conversar com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para estar alinhado com os americanos na questão dos dois navios iranianos que estão parados no Porto de Paranaguá desde junho.  Segundo ele, o tema não foi tratado com o republicano ainda. 

"Sobre esse assunto específico não. Mas tem certas coisas que não precisa conversar. Estamos alinhados à política deles, então sabemos o que temos que fazer", disse.

Os cargueiros trouxeram ureia e voltariam carregados de milho, mas a Petrobrás teme punições americanas e se recusa a abastecer as embarcações, que estão na lista negra do Departamento do Tesouro dos EUA.

Na sexta-feira, Bolsonaro tinha dito que o problema das sanções dos Estados Unidos ao Irã é um risco para as empresas brasileiras. "Existe esse problema. Os EUA, de forma unilateral, pelo que me consta, têm embargo levantado contra o Irã (na verdade, ele quis dizer embargo em vigor). As empresas brasileiras foram avisadas do problema e estão correndo risco", afirmou. Ele disse ainda que o Brasil está de braços abertos para acordos e parcerias om outros países, mas lembrou que é preciso cuidar dos interesses brasileiros em primeiro lugar.

Hoje,  Bolsonaro falou a jornalistas em uma galeteria de Brasília onde parou para almoçar neste domingo após ter participado de um culto evangélico na cidade.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.