Estátua da Liberdade será fechada por um ano para reformas

Interdição começa em outubro; obras no monumento custarão mais de US$ 27 milhões

Agência Estado

11 de agosto de 2011 | 14h10

Reforma vai tornar interior da estátua mais seguro e acessível

 

NOVA YORK - A Estátua da Liberdade será fechada por um ano no final de outubro para uma reforma de US$ 27,25 milhões, que tornará seu interior mais seguro e mais acessível, anunciou o secretário do Interior Ken Salazar. A reforma será restrita ao monumento e a Ilha da Liberdade vai permanecer aberta pois a estátua poderá ser vista pelos visitantes, disseram as autoridades em comunicado.

 

Tegan Firth, porta-voz da empresa Statue Cruises, que em sábados de verão costuma levar cera de 18 mil pessoas até a Ilha da Liberdade, disse que a reforma não deve ter impacto significativo no número de visitantes. "A experiência de visitar esse marco continua a mesma", afirmou ela.

 

O National Park Service, que gerencia a Estátua da Liberdade e a Ilha Ellis, disse que o monumento será fechado em 29 de outubro, um dia depois de seu 125º aniversário. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.