Estátua de João Paulo 2º gera polêmica na França

Uma pequena cidade na Bretanha, região da França, está no centro de uma polêmica depois da colocação de uma enorme estátua de bronze do papa João Paulo 2º na praça central.A estátua de 8,5 metros de altura foi presenteada à cidade de Ploermel pelo polêmico escultor Zurab Tseretelli, da Geórgia.Durante a inauguração do monumento, no domingo, o prefeito de Ploermel disse que a estátua mostra "um gigante do século 20".Mas os críticos da obra afirmam que a estátua viola a lei francesa de 1905, que determina a separação de igreja e Estado, e foram à Justiça. Eles dizem que as autoridades locais aprovaram verbas de 130 mil euros para a colocação da estátua e a cerimônia de inauguração.O gabinete do prefeito afirma que a estátua foi um presente do artista à cidade e nenhuma verba pública foi usada.CentenárioA cerimônia de inauguração havia sido planejada originalmente para o dia 9 de dezembro, o centenário da assinatura da lei que fundou o secularismo moderno francês.O prefeito conservador de Ploermel, Paul Anselin, atrasou a cerimônia em um dia em um esforço para acalmar os críticos que viram a data escolhida como uma provocação.Anselin, que liderou a cerimônia, descreveu João Paulo 2º como "um gigante do século 20, que participou da queda da Cortina de Ferro".Cerca de mil pessoas participaram da cerimônia de inauguração da estátua, que mostra o falecido papa de pé, rezando, embaixo de um arco com uma cruz.Um pequeno grupo de manifestantes protestou durante a cerimônia enquanto ocorria a reunião dos críticos da estátua em uma cidade vizinha.O grupo, que organizou um protesto de 500 pessoas contra o monumento no mês passado, afirmou que iria continuar sua batalha na Justiça.Anselin disse que o artista, Tseretelli, que é presidente da Academia Russa de Artes, participou da inauguração como amigo pessoal do prefeito.Tseretelli tem outras obras, também polêmicas, na Rússia. Uma estátua gigantesca de Pedro, o Grande, domina o horizonte de Moscou e sua estátua da princesa Diana também foi colocada na capital russa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.